ADAPTAÇÃO ESCOLAR – SENTINDO NA PELE

Esse ano, mais precisamente logo após o carnaval, iniciamos a adaptação escolar do Gabriel.
Como psicóloga escolar, eu sempre orientei os pais de como agir para que a adaptação escolar ocorresse de maneira suave para os pais, mas especialmente para a criança. Quero dizer para você que a teoria é muito mais fácil do que a prática e nessa segunda adaptação escolar pela qual estou passando só fez aumentar a certeza disso que estou te contando!

Assim que chegamos na escola, no primeiro dia e primeiro contato com esse mundo do Gabriel

 

A primeira semana todinha eu acompanhei meu pequeno na escola, o que tornou o processo um tanto mais tranquilo para ele e para mim pela oportunidade de ver o que ocorre em todos os ambientes da escola durante todo o tempo!

 

Tanto como psicóloga como mãe, eu de fato acredito que esse período em que estamos dentro da escola ajude a aumentar a confiança que depositamos tanto nos profissionais da escola como no ambiente escolar que escolhemos para nossos filhos!

Filmei e fotografei muitos momentos, curti participar e pude vê-lo brincando e demonstrando felicidade no ambiente em que se encontrava.
Essa certeza de que eles estão felizes é extremamente importante para darmos conta do recado nos momentos em que esse processo da adaptação ficar difícil!

 Muitas vezes, vê-los chorando nos deixa com uma sensação de dúvida de “será que estou fazendo a coisa certa?”
“Será que está realmente na hora de ir para a escola?”

Nesses momentos da dúvida, eu reforço a importância da adaptação para que nós pais possamos estar certos de que lá dentro da escola, mesmo durante nossa ausência, essa criança estará feliz!

Passados uns 2 dias da adaptação, Gabriel já não tinha vontade de ir embora no horário sugerido pela escola. Demonstrava querer ficar mais tempo lá brincando e saía chorando. Isso é considerado positivo por que os deixa com a sensação de querer retornar para aquele local.

Eu fiz vídeos para o meu canal que podem ajudar os pais que estiverem enfrentando dificuldades nesse processo de adaptação escolar. Vou deixa-los aqui para você:

Muitos beijos!!!

Eu também dividi meu momento de adaptação escolar lá no meu Instagram enquanto eu estava vivenciando esse momento, vou deixa-lo aqui para que você possa acompanhar as novidades!!!

Something is wrong.
Instagram token error.
Load More

CIÚME ENTRE IRMÃOS – TÉCNICAS PARA SOLUCIONAR

Lá no canal Milena Loguercio do Youtube, há algum tempo eu venho abordando o tema disciplina positiva e dando dicas dentro desse tema.

De lá para cá, algumas pessoas me sugerem temas e aos poucos eu tento atender todas as solicitações.fazer site

Tem vários temas sobre “educação dos filhos” aqui pelo blog, como por exemplo:

DISCIPLINAR SEM BRIGAR, SERÁ QUE DÁ?

Entre outros!!!

Dessa vez, trouxe o tema:

“CIÚME ENTRE IRMÃOS – TÉCNICAS PARA SOLUCIONAR”

Procurarei trazer vários temas relacionados à psicologia. Fico à disposição para atender solicitações e até mesmo responder aos seus comentários!!!

Muitos Beijos!!!

DISCIPLINA POSITIVA: ALGUMAS DICAS SOBRE EDUCAÇÃO INFANTIL

Lá no canal Milena Loguercio do Youtube, há algum tempo eu venho abordando o tema disciplina positiva e dando dicas dentro desse tema.

De lá para cá, algumas pessoas me sugerem temas e aos poucos eu tento atender todas as solicitações.

Por aqui, resolvi fazer um apanhado geral do que estou comentando lá dentro desse tema afim de registrar aqui no blog também e estender essa ajuda ao maior número de pessoas possível!

Nesse primeiro vídeo eu conto para você o caminho que a disciplina foi tomando ao longo dos anos e por que a disciplina positiva está no centro das atenções, atualmente:

O comportamento da criança é a ponta do Iceberg, a disciplina positiva vai cuidar da “causa” daquele comportamento para modificar o repertório comportamental inadequado. Falei mais sobre isso nesse vídeo com parte I e II:

Como eu digo no vídeo, trata-se de uma disciplina na qual primeiro nos conectamos com a criança, ensinando-a para depois corrigi-la. Por essa razão, fiz o vídeo:

Quando estamos conectados com a criança a disciplina fica muito mais tranquila. Assim, nesse vídeo, te convido a fazer uma reflexão do por quê não precisamos de “brigas”. O desafio é demonstrar a importância de todo o aprendizado com amor. Por que eu considero um desafio?! Por que algumas vezes cansados ou sem paciência é bem mais difícil a demonstração do amor.

Por isso eu sempre digo que muitas vezes, quando a criança apanha; ao esfriar a cabeça, os pais acabam confessando que os “tapinhas” não foram necessariamente pela edução em si, mas em resposta ao sentimento de cansaço, exaustão, falta de paciência, entre outros…

No vídeo acima também te proponho montar o ambiente de uma forma que te favoreça a falar muito mais “SIM” do que “NÃO”, além disso, você pode dizer “NÃO” sem usar a palavra não, fiz um vídeo para te ajudar nessa questão:

Se tudo que seu filho quer ele chora para conseguir, o que fazer?! Fiz esse vídeo para tentar te ajudar:

Entendo que em alguns momentos nosso comportamento não é exemplar e assim como nos cobramos quando pisamos na bola com a dieta, sentimos quando pisamos na bola com a disciplina positiva, mas afinal de contas, somos seres humanos, isso é algo totalmente esperado, por isso, fiz o vídeo abaixo:

 

O encorajamento também foi bastante abordado nesse vídeo e “encorajar” funciona muito como motivação para nossos filhos continuarem a melhorar o comportamento!

Espero que esses vídeos te ajudem muito na missão educação e caso queira ouvir sobre outros temas, não deixe de me sugerir nem de seguir o meu canal do Youtube!

Muitos beijos!!!

DISCIPLINA POSITIVA: ENCORAJAMENTO

Depois da introdução do assunto Disciplina Positiva e de uma grande aceitação por parte de vocês “mães e pais” que também passam por várias dificuldades no dia a dia no que diz respeito à educação dos nossos pequenos, eu trago o primeiro passo para você colocar mãos à obra e dar uma reviravolta neste tema dentro da sua casa:

*ENCORAJAMENTO

*COMO VOCÊ LIDA COM A SUA RAIVA?

*COMO VOCÊ LIDA COM A RAIVA DO(S) SEU(S) FILHO(S)?

Desde já eu ressalto que não será uma tarefa fácil. Teremos muitos altos e baixos, muitos momentos fáceis como outros bem difíceis mas, assim como qualquer outro assunto: trabalho, dieta, atividade física, compromissos, etc… temos que encarar suas dificuldades e glórias. Então, bora começar?

Caso você esteja com dificuldades em algum comportamento específico, não deixe de comentar, terei o imenso prazer em trazer o tema em forma de textos e vídeos aqui para o blog com o intuito de te ajudar.

Muitos Beijos!!!

LIVRO EDUCATIVO PERSONALIZADO – UM PRESENTE ESPECIAL

Mostrei lá no canal Milena Loguercio, há uns dias atrás, um vídeo do meu filho Felipe abrindo seus presentes de aniversário.

Falarei em nome somente do “Felipe” por que ainda não consigo mensurar o quanto o Gabriel gosta ou não gosta de algum presente já que pra bebês tudo está bom! Então, voltando ao Felipe, ele amou os presentes que ganhou; como mãe, fiquei feliz demais com o carinho das pessoas…

Hoje, quero mostrar um presente em especial que achei muito LINDO mas além disso, muito enriquecedor para eles:

LIVRO EDUCATIVO PERSONALIZADO:

livro educativo

O que achei mais incrível é que o livro do Gabriel tem atividades próprias para um bebê e o do Felipe tem atividades próprias pra uma criança que está entrando em contato com números e letras, exatamente a fase que ele está vivendo.

Dentre as páginas do livro, mostro alguns exemplos para vocês:

livro educativo

Eles podem escovar os dentes do urso.

livro educativo

Entrar em contato com diferentes cores, formas e texturas.

livro educativo

Além de divertir-se explorando situações do dia a dia que acarretam em muito aprendizado.

Tem mais atividade e mostrei tudinho, com todos os detalhes, no vídeo abaixo:

Como eu disse no vídeo, não importa se a criança tem “de tudo” nem importa a idade da criança, esse presente será MUITO bem vindo tanto pelos os pequenos quanto pelas mamães!

Muitos Beijos!!!

DISCIPLINAR SEM BRIGAR, SERÁ QUE DÁ?

Vira e mexe eu repito nos meus posts ou vídeos que sou psicóloga, então você que me acompanha no dia a dia já deve saber disso, provavelmente. Mas continuo repetindo por que pode ocorrer de novas mães e pais aparecerem por aqui e não saber dessa informação!

Uma parte do meu trabalho é educacional, em escola mesmo. Fazendo atendimentos, especialmente, de orientação de pais.

A linha de orientação que adoto chama: Disciplina positiva. Um nome que causa bastante confusão na cabeça das pessoas por achar tão controverso: DISCIPLINAR e manter a “POSITIVIDADE” por associar esse positivo à “liberalismo, liberal, dizer sim…”

A impressão que eu tenho quando apareço com esse nome na vida dos pais: “DISCIPLINA POSITIVA” é de que eles logo imaginam “o mundo desabando, tudo pegando fogo e eles olhando para o horizonte, com cara de paisagem e repetindo para si: paz e amor” (rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs…)

Por isso, antes de apresentar as técnicas e dicas de como aplica-las, preferi fazer um vídeo de introdução explicando do que se trata a disciplina positiva e que ela tem o objetivo sim de impor limites. O caminho que ela utiliza para isso é que é um pouco diferente!

Eu te convido a assistir o vídeo abaixo para entender melhor do que eu estou falando:

Te confesso que essa necessidade cresceu por que estou iniciando a disciplina positiva de uma forma bastante constante no dia a dia do Gabriel. Assim, quero aproveitar os episódios que ocorrem no nosso dia a dia e trazer para cá e abrir essa “roda de conversa” com vocês que também passam pelas mesmas situações no dia a dia de vocês.

Caso tenha algum problema específico de comportamento que esteja passando com seu filho(a), não deixe de me enviar mensagem, e-mail, comentário, sinal de fumaça(kkkkk); que terei o maior prazer em ajudar. Farei vídeos abordando dificuldades do dia a dia e me trazendo as dificuldade vocês estão propondo novos temas!

Vamos nos ajudar por que não é uma tarefa nada fácil educar e fazer um ser humano virar DE FATO “HUMANO”!

Muitos Beijos!!!

COMO FICA O CORAÇÃO COM O FIM DA LICENÇA MATERNIDADE?

Para ter um filho, nós mulheres passamos por várias transformações externas e internas. Uma das transformações internas ficam por conta da grande dúvida que paira em nossa cabeça com relação à vida profissional.

O que fazer após a chegada do bebê?

Voltar a trabalhar e deixa-lo na escolinha, com avós ou babá?

Parar de trabalhar e assumir a criação?

São várias incertezas e independente do que decidimos ficamos com a sensação de: “será que estou fazendo o certo?”

Esses pensamentos vieram muito fortes na minha cabeça ao retornar ao trabalho mesmo sabendo sabendo que tenho uma enorme vantagem (assim eu considero: vantagem): posso levar meu filho comigo no trabalho!

A parte da “desvantagem” fica por conta de carrega-lo no colo o tempo inteiro, o que me deixa com dores nas costas no final do dia! Mesmo assim, não trocaria essa situação por nenhuma outra e confesso que foi isso que me manteve firme na ideia de retornar ao trabalho.

Quando eu estava a caminho do meu primeiro dia de trabalho resolvi ligar a câmera e abrir meus pensamentos para outras mães que possam estar vivenciando a mesma fase!

E com você? Como foi ou como está sendo?

Muitos Beijos!!!

EU NÃO QUERO FILHOS

Vamos mudar de assunto?!

Eu falo muito frequentemente sobre maternidade, até porque estou mergulhada nela atualmente. Mas, no meu dia a dia, aparecem assuntos que me colocam para pensar e me questiono: “Porque não tentar ajudar outras mulheres?!”

Foi assim que no meu canal do youtube: www.youtube.com/Milenaloguercio eu resolvi abrir uma polêmica discussão.

Nós estamos muito habituados a pensar como a “maioria”; tudo que sai do esperado pela “maior parte das pessoas” acaba causando estranhamento nos demais.

Acredito que precisamos respeitar as escolhas das pessoas. Mas, e quando a própria pessoa não tem 100% de certeza de suas escolhas? Ela pode pagar um preço alto futuramente. Por essa razão, minha proposta é um olhar para frente, um exercício de pensar no futuro e chegar numa resposta para si mesma: SER OU NÃO SER MÃE?

Nos vídeos abaixo eu coloco questões para que a mulher que tenha essa dúvida PARE, SE QUESTIONE e REFLITA SOBRE SUAS RESPOSTAS…

Espero ter ajudado de alguma forma!

Muitos Beijos!!!

MINHA VIDA NÃO É FACEBOOK NÃO!

Outro dia, recebi um comentário que dizia que me admirava por conta de me ver “radiante”… Não vou mentir não, amei ler isso, fiquei imensamente feliz com o comentário, mas também me acendeu um alerta:

“Será que todas as mães pensam que precisam estar RADIANTES no PUERPÉRIO?”

Com isso, resolvi fazer esse vídeo e contar para você que aqui em casa também passo as minhas dificuldades e sou ser humano assim como você, NÃO SOU DIFERENTONA!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Te convido a assistir:

Muitos Beijos!!!

VOLTA ÀS AULAS – ADAPTAÇÃO ESCOLAR

Este é o início do terceiro ano escolar do meu filho.

Nos dois primeiros anos eu fui surpreendida por atitudes dele que demonstravam estar feliz em ir para a escola, desde o começo do ano.

Para a minha surpresa, mais uma vez, neste ano, que já não acreditava mais que passaria por isso, tive certa dificuldade em deixa-lo na escola.

Não que ele tenha entrado SEMPRE sem nem reclamar ou sem pedir para ficar em casa comigo, mas, não tinha feito isso tão no início e em dias seguidos.

Com minha cabeça de MÃE + PSICÓLOGA, fiquei pensando em algumas possibilidades que estivesse proporcionando este tipo de comportamento:

A-) Ele se deu conta de que a escola é um espaço além da brincadeira, embora seja divertido a maior parte do tempo, ela exige responsabilidades de ações, comportamentos, horários, atividades… que não são exigidos em casa com a mesma frequência;

B-) De alguma forma a minha gestação pode estar influenciando nessa vontade de ficar mais em casa, mesmo que ele não esteja demonstrando ciúmes.

Seja o que for, não é NADA FÁCIL você ter o seu filho chorando e dizendo: “mamãe, por favor, me deixa ficar aqui com você?”

“Mamãe, não me leva para a escola, quero ficar com você!”

Jesus, é de cortar o coração de qualquer mãe em mil pedacinhos.

No primeiro dia de aula, ele agarrava no pescoço do meu marido que foi quem entrou com ele na escola por que com essa história de gravidez, ando emotiva demais para isso!

Meu marido chegou a cometer um “erro” que na psicologia não permitimos; ele disse: “Filho, nós vamos lá, vamos ver os seus amigos e, se você não quiser ficar, nós voltamos”.

Eu chamei-o de lado e disse: “Não amor, nunca! Isso não! Ele vai ter que ficar, se estamos levando, não podemos voltar com ele, caso contrário, ele continuará insistindo por muito tempo”.

Como é difícil né? No trabalho eu vi isso a vida inteira e sempre mexeu comigo de uma forma muito diferente do que mexe agora, hoje, além de mãe, estou grávida, chorona, sensível… tudo me emociona! Ver uma criança agarrada na mãe e faltando implorar para que não vá, não a deixe alí, tem me dado nós na garganta imensos. Pensa se com meu filho isso não aconteceria? Lógico!

Mas, eu tenho agido como sempre pedi para as mães agirem: não volto atrás, se ele chegou na porta, irá ficar, mesmo chorando. É muito dolorido, só que a tendência é que deixemos esse período de sofrimento muito menos quando fazemos dessa forma: tanto momentâneo, como a longo prazo.

Quando os filhos nos percebem inseguros, eles estendem o sofrimento, choram e sofrem muito mais por que sentem que isso pode funcionar de alguma maneira ou até mesmo por questionar “qual é o problema para minha mãe/ pai estar tão inseguro em me deixar aqui!”.

No ano passado, fiz um texto, inclusive com vídeo, no qual dei algumas dicas sobre a Adaptação escolar. Se você estiver passando pela mesma dificuldade que estou, cabe recordar deste post para tentar diminuir a fase do sofrimento, tanto para a criança quanto para você.

FORÇA PARA NÓS!!!

Muitos beijos!!!