CUIDADOS IMPORTANTES NA GESTAÇÃO

A boa saúde da mulher é essencial para a boa saúde do bebê, durante a gravidez. Mulheres que comem bem, exercitam regularmente e fazem o pré-natal corretamente, são menos propensas a complicações durante a gravidez e estão mais propensas a dar a luz a um bebê saudável.

NUTRIÇÃO:

O que você come durante a gravidez pode dar ao bebê o mais saudável começo de vida possível. Uma dieta nutritiva está diretamente ligada a maior chance do peso adequado do bebê no nascimento, melhor desenvolvimento do cérebro do feto e menor risco de muitos defeitos no nascimento.

Uma dieta adequada também reduzirá os riscos de complicações na gravidez, como por exemplo, anemia. Pode também minimizar o enjôo matinal, fadiga e outros desconfortos da gravidez. A boa nutrição também ajuda a equilibrar o humor e pode auxiliar para uma melhora no trabalho de parto.

Para ser considerado uma boa dieta, e garantir a saúde da mamãe e do bebê durante os nove meses, não podem faltar:

Proteína

Vitamina C

Cálcio

Frutas e Vegetais

Grãos integrais

Alimentos rico em ferro

Gordura adequada

Uma maneira simples de garantir que você está fazendo uma boa alimentação, durante a gravidez, é comer uma variedade de alimentos de cada grupo dos itens acima, por dia.

Muitas mulheres se preocupam com a quantidade de pesos que ganharão na gravidez. É importante manter um ganho de peso saudável. Se você já tinha um peso normal antes de engravidar, ou seja, se o seu IMC (http://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%8Dndice_de_massa_corporal) estiver entre 18.5 a 25, recomenda-se o ganho de 11,5kg a 16kg. Mas é importante que você discuta essa variação de peso com seu médico por que isso variará para grávidas do IMC elevado, para a gravidez múltipla, etc…

O QUE NÃO COMER:

Para proteger a mamãe e o bebê de bactérias e infecções você deve evitar alguns alimentos considerados nocivos tanto para a mamãe quanto para o bebê, como: Carnes e peixes crus:

Não há problema com a carne ou o peixe cru, necessariamente. Mas, por estarem crus, estão mais sujeitos à contaminação por bactérias e protozoários, o que aumenta o risco de diarreia ou de toxoplasmose que é uma doença perigosa para o bebê, para saber mais, acesse:  (http://pt.wikipedia.org/wiki/Toxoplasmose)

Cafés e bebidas energéticas:

Bebidas estimulantes aumentam a frequência cardíaca de quem consome. Como a gravidez já eleva naturalmente a frequência cardíaca da mulher, o consumo de bebidas estimulantes podem elevar a pressão arterial. Além do que, esse tipo de bebida contém muitos conservantes em sua composição.

Bebidas alcóolicas:

Em grandes quantidades, podem prejudicar a formação do bebê. Alguns médicos liberam em pequenas quantidades, na dúvida, melhor não ingerir.

Embutidos:

Salames, presuntos, salsichas, mortadelas, e todos os outros alimentos embutidos. Por conta da quantidade de conservantes e outras substâncias químicas.

Ovos:

Precisamos ter cuidado com a salmonela que é uma bactéria que ataca o sistema gastrointestinal, trazendo diarreia e vômito além de outras complicações, dentre elas, a de um parto prematuro. Mas o ovo é aconselhável que se coma, então, o cuidado é somente para que ele esteja bem frito ou bem cozido, com a gema dura. Evite comidas nas quais sua receita é com o ovo cru.

Queijos e leite:

Você pode consumir esse tipo de alimento desde que sejam pasteurizados por que assim eles passam por um processo no qual bactérias são eliminadas, não oferecendo mais riscos de contaminação para as mamães e bebês.

Refrigerantes:

Não estão proibidos, mas podem ser evitados. Elas causam um desconforto e um estofamentos gástrico.

Os demais alimentos, é interessante que você pergunte ao médico sobre restrições, por que irão variar de pessoa para pessoa conforme seu histórico de saúde.

VITAMINAS:

A maioria delas devem vir do consumos dos alimentos saudáveis, porém, normalmente, frequentemente, e até hoje não conversei com uma amiga grávida que não estivesse tomando, temos os suplementos vitamínicos que utilizamos no pré-natal que desempenham um importante papel.

Como é muito difícil completarmos o dia com toda a alimentação considerada satisfatória para o feto, os suplementos darão conta de complementar o que falta e garantir que ele receba tudo o que precisa para o desenvolvimento.

O ácido fólico é uma Vitamina B que é muito importante por que diminui em 75% a chance de um bebê vir a ter algum defeito do tubo neural. As mulheres precisam consumi-los desde antes da gravidez e estender este consumo até as 12 semanas de gestação.

É muito importante conversar com o médico e pedir a indicação de qual suplemento tomar, não tome por conta própria.

EXERCÍCIOS:

Eles são considerados seguros para as mulheres grávidas e incentivados pelos médicos, claro que, quando não for uma gravidez de risco, quando tudo estiver de acordo com o esperado, etc… Então, converse sempre com o seu médico para saber se pode e quando pode começar. E se puder, saiba que, 30 minutos por dia de atividade física melhoram a circulação, fortalece os músculos e diminui o estresse. Se você não tinha costume de fazer qualquer tipo de atividade física, anteriormente à gravidez, também é preciso conversar com médico e ver se ele autoriza a sua iniciação.

Para a maioria das gestantes, os exercícios:

Aumentam os níveis de energia

Melhoram o sono

Fortalecem os músculos

Reduzem as dores, principalmente das costas

Aliviam a constipação

Há muitas aulas de ginásticas desenvolvidas especialmente para mulheres grávidas e que ajudam a melhorar a força, alinhamento e postura, além de melhorar a circulação e respiração. Agachamento e exercícios de Kegel também devem ser adicionados aos exercícios. Veja do que se trata o exercício de Kegel (http://pt.wikipedia.org/wiki/Exerc%C3%ADcios_Kegel).

Os exercícios de Kegel são bastante indicados por que permitem que a mulher mantenha o tônus muscular e aprenda a ter controle da área perineal que podem ajudar tanto no parto quanto na recuperação dele.

CORTANDO OS HÁBITOS RUINS:

A escolha de um estilo de vida saudável terá ligação direta com o bom crescimento e desenvolvimento do seu bebê. Pensando nisso, é extremamente importante cortar hábitos nocivos, como por exemplo: fumar ou beber bebida alcóolica. Hábitos que estão estreitamente ligados à complicações e riscos na gravidez ou o problemas com o bebê.

O consumo de bebida alcoólica na gravidez está relacionado a uma série de complicações que possa vir a aparecer no desenvolvimento do bebê. Todo álcool que é consumido pela a mãe entra na corrente sanguínea do feto na mesma proporção de concentração da corrente sanguínea da mãe. O consumo excessivo do álcool pode ocasionar as síndromes alcoólicas fetais que produz crianças:

Abaixo do peso;

Com deficiência mental;

Com vários tipos de má formação;

Com alta taxa de mortalidade

Além de tudo, consumir álcool na gravidez pode levar à:

Aborto

Trabalho de parto prematuro

Peso baixo do bebê no nascimento

Crescimento anormal

Problemas de desenvolvimento na infância

Já o tabagismo é a causa mais comum de bebês abaixo do peso ao nascer, o que, por sua vez, é a causa mais comum de morte nas primeiras semanas de vida. O fumo também está ligado a uma série de complicações durante a gravidez, dentre elas:

Sangramento vaginal,

Descolamento da placenta

Trabalho de parto prematuro

ADOECER DURANTE A GRAVIDEZ:

Além de todos os sintomas que as mulheres grávidas estão sujeitas à enfrentar, elas ficam mais suscetíveis à certas infecções como resfriados e gripes. Um simples resfriado tem um efeito um pouco mais devastador quando se trata de uma mulher grávida. Apesar de fazer com que se sinta muito mal, resfriados e gripes não tendem a trazer riscos para o bebê.

A prevenção dessas doenças é o meio mais eficaz de evitar todo o desconforto que vem junto com elas. Até por que, grávidas não podem tomar “remedinhos” que amenizam os chatos sintomas de um resfriado ou gripe.

Lavar as mãos muitas vezes por dia, carregar um frasquinho de álcool gel na bolsa ajudam a garantir uma boa saúde. À partir do segundo trimestre da gestação, pode ser que seu médico recomende a vacina contra gripe. É sempre muito importante consulta-lo antes de tomar.

Para quem tem histórico de asma, as crises podem se agravar durante a gravidez. Em partes, isso acontece por conta do aumento da quantidade de hormônios, assim como o aumento do útero que faz com que a pressão contra os pulmões se intensifiquem. Mulheres com histórico de asma, tem uma chance um pouco maior de desenvolver pré-eclâmpsia, acarretando num parto pré-maturo do bebê. Por isso, é muito importante que o médico conheça todo o histórico de saúde seu e de sua família, por que, mesmo com histórico desse tipo, é possível ter uma gravidez tranquila caso seja bem assistida.

Muitos Beijos!!!

Deixe uma resposta

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>