O NASCIMENTO DA MINHA SOBRINHA LETÍCIA!

Sobre um dos dias mais especiais que eu já vivi!

A minha maior crítica com relação ao dia do nascimento do meu filho Felipe (o primogênito) foi da câmera (que contratei) ser ligada somente no momento exato do nascimento dele, estou contando detalhes do nascimento do Felipe nesse vídeo: Detalhes do nascimento do Felipe . Senti falta de todo o clima que acontece quando estamos nos finalmente da gravidez e prestes ao maior encontro de nossas vidas. Sinto por não ter o registro do clima do quarto, das nossas conversas, da expectativa, dos medos, da felicidade…

Sempre comentei sobre isso com minha família e acredito que a Micheli não tenha esquecido disso quando engravidou. Mal eu sabia dos ousados planos dela! Um belo dia, ela me pergunta:

“Você entraria comigo no centro cirúrgico para filmar o parto da Lelê?”

Eu quase caí dura! Pensei: como ela pode imaginar que eu não concordaria com isso??? É LÓGICO QUE SIIIIIIIMMMMMMMMM. Mas jamais imaginei que o hospital autorizaria a minha entrada afinal ela queria um TIME (de peso, eu diria) lá dentro! Além da equipe médica, é lógico, ela contava com a presença do marido (sem dúvidas), da doula e minha! Achei que seria algo impossível. Mas abençoada seja essa onde de HUMANIZAÇÃO DO PARTO que permitiu os hospitais mudarem o olhar para as gestantes e levarem em consideração a felicidade de cada uma delas nesse momento tão, para não dizer o mais importante da vida!

E pasmem, fui autorizada! Claro que precisei providenciar toda a documentação e com bastante antecedência, então não pense você que é só chegar em trabalho de parto no hospital e solicitar um monte de coisas que será atendida. Veja tudo com calma, durante a gravidez por que não foi tão simples assim e mesmo com a autorização, no dia do parto, eu precisei conversar e comprovar para uma três pessoas diferentes a minha autorização. Todas as pessoas tentam dificultar a entrada e querem, de fato, que você chegue para filmar quando o bebê está praticamente saindo. Porém, explicando que era justamente o que a gestante não gostaria e com muita paciência, gentileza e firmeza, demonstrando que eu não abriria mão de entrar, conseguimos!!!

Sobre o trabalho de parto: A Micheli chegou no hospital por volta de meia noite, com bolsa rota e muitas dores.

A doula chegou logo em seguida; e por falar em doula… É um trabalho que eu não conhecia de perto. Já tinha ouvido falar a respeito e acreditava realmente na importância da presença dela, mas olha, depois de presenciar de muito perto o parto da minha irmã, eu passei a “tirar o chapéu” para esse trabalho. Claro, é uma função remunerada, ok. Mas não deixa de existir uma ideologia, uma doação, muita dedicação e muito amor  nele. Ou seja, tudo o que uma mulher que está parindo mais precisa MUITO AMOR, acolhimento, apoio, empatia, respeito, encorajamento… Uma doula está preparada para dar esses estímulos imprescindíveis para o momento do parto.

A Lelê nasceu às 2:54h, ou seja, foi tudo muito rápido. A Micheli não ficou sentindo as dores fortes por tanto tempo. Mesmo assim, chegou a pensar em desistir em alguns momentos e pedia anestesia. Porém, a equipe MÉDICO + DOULA estava tão alinhada com a vontade dela (Micheli) e sabiam que tomar anestesia, naquela altura do campeonato, causaria arrependimentos futuros na própria Micheli por tudo o que eles conversaram durante a gravidez onde os planos e objetivos para esse dia foram traçados.

Assim, vendo que faltava pouco, o médico e a doula fortaleciam e encorajavam muito a minha irmã. Foi crucial a equipe, por que no que dependia de mim, eu mesma estava quase aplicando a anestesia nela, kkkkkkkkkkkkkkkkkk…

Por falar em Médico, Ah esse médico!

Eu não o conhecia, em todas as oportunidade em que eu e a Micheli abordamos o assunto parto, o enfoque era na minha entrada para filmar! Não chegamos a conversar muito a respeito do médico, fui conhecê-lo na sala de parto, durante o auge das dores da Micheli.

Ele entrou por aquela porta DAN – ÇAN – DOOOOOOO, foi tão demais! O clima estava meio tenso, não uma tensão ruim não, porém uma tensão por vê-la passando fortes dores e ninguém podendo amenizar a situação. Todos apoiando, dando mãos, acolhendo, abraçando, mas ninguém, além da Letícia, tinha o poder de fazer com que as dores cessassem.

Quando o doutor entrou na sala com o seu cafezinho em mãos e dançando a música que tocava no momento, todos começamos a rir a o ambiente descontraiu no mesmo segundo!

A dupla doula + médico foi fantástica! Me apaixonei pelos dois de cara, somente pelo fato de perceber que minha irmã estava sendo assistida com todo carinho, dedicação e amor.

Trabalho de parto

Sobre ela ficar deitada na maca:

Essa era uma preocupação da minha irmã durante todo o tempo em que eu disse que postaria os detalhes no meu blog.

ELA QUEM QUIS FICAR NESSA POSIÇÃO. Foi assim que encontrou o maior conforto para as dores que sentia. Até o médico questionou quando chegou: “Por que você está deitada?”

Ela respondeu que não tinha forças nas pernas para ficar em pé, as pernas tremiam e ela não estava conseguindo sustentar.

Ele ainda brincou: “É por isso que tem um monte de gente aqui, a gente te segura!!!”

Ela quis ficar assim, foi uma escolha dela que foi respeitada!

parto com doula

Sobre o marido:

Eu sentia a aflição dele. Ele era “time anestesia”, pode até ter mudado de time depois que deu tudo certo. Porém eu percebia que ele não queria ver nenhum sofrimento da Micheli. Ele também queria poder tirar aquilo. Como eu, se ele pudesse, pegaria a seringa e aplicaria a anestesia ele mesmo! Risos.

Foi impecável a participação dele. Todo apoio, amor e carinho, ajudaram muito a Micheli se manter ali, firme e forte! E que força!

parto natural

Sobre a Micheli

É claro que eu já admirava muito a minha irmã, por diversos fatores, inclusive, cheguei a comentar sobre essa admiração no post em homenagem a ela quando fiquei sabendo da gravidez: 

QUANDO SOUBE DA GRAVIDEZ DA MINHA IRMÃ

Mas assistir a chegada da filha dela, com toda a garra, toda a força, toda a coragem que ela demonstrou, foi algo que elevou essa admiração no nível “superior completo” sabe? 

Eu disse para ela que eu não teria conseguido. Ela foi impecável. Que GARRA, que CORAGEM! Em um determinado momento eu questionei: “Você tem noção que esse será o dia mais lindo da sua vida?” 

Cheia de dores, naquela hora, a resposta foi: “Não, não consigo pensar nisso agora” 

Pouquíssimo tempo depois, ela declarou sentir saudades e que aceitaria vivenciar tudo de novo! Por que é, sem nenhuma dúvida, o dia mais incrível da vida de uma mãe. O GRANDE ENCONTRO! 

parto humanizado

parto natural

parto normal

tatoo sisters

Eu tive que fazer esse registro! Para lembrar: “ONDE ESTIVER… ESTAREI CONTIGO”. Nossa tatuagem de irmãs que não poderia estar melhor representada nesse momento lindo que tive a oportunidade de estar presente! Para ver o post sobre nossa tatuagem (o vídeo está dentro do post), acesse:

QUANDO SOUBE DA GRAVIDEZ DA MINHA IRMÃ

parto natural humanizado

parto normal

Num determinado momento, quando Micheli estava dominada pela exaustão, ela dizia: 

“Chega!”

“Não aguento mais”

“Lucas, me dá anestesia”…

A Sala foi tomada por uma agitação, onde doula falava com ela para fazer força, enfermeira falava para ela fazer força, o marido falava para ela fazer força, a própria Micheli gritava: “Vem Lêeee”…

O doutor Lucas sabiamente diz:

“Eu preciso que todo mundo fique quieto. Mi, eu preciso que você confie em mim. Põe a mão aqui embaixo (e pega as mãos dela): isso é a cabeça da sua filha. Você vai sentir uma dor forte e vai fazer seu bebê nascer”.

Micheli hesita: “Não Lucas… não… tá queimando o meu pé…”

Doutor Lucas (grita para encorajar): “Então FAZ NASCER!!!!” 

Micheli grita e empurra e então LETÍCIA ESTRÉIA!!!! E eu choro!!! Que saudade, que delícia, que dia MARAVILHOSO!!!

médico parteiro

parto sem anestesia

parto respeitoso

parto Letícia

nascimento letícia

quadro placenta

parto com doula

Carinho impagável dessa equipe LINDA! 

parteiro

parto irmã

 E por fim, sobre a minha participação

Depois de tudo que relatei, imagina eu vivenciando todos esses momentos, com essa mistura de sentimentos e alegria, de dó da Micheli estar sentindo tantas dores, de ansiedade para ver a carinha da minha sobrinha e saber que tudo correu bem e deu certo… enfim.

Eu entrei naquele hospital com uma premissa básica: não perder nenhum momento desse dia especial. 

Confesso que por alguns segundos, quando a Lelê estava de fato chegando, senti medo de perder os detalhes por que uma emoção tão forte me invadiu que eu comecei a chorar e tremer… daí eu me lembrei: “você está aqui justamente para não perder nadinha!”

Rapidamente, me concentrei para não perder o foco e voltei a filmar, sem tremer, tudo o que estava acontecendo. 

participar do parto

Passado o parto, quando peguei a Letícia pela primeira vez, eu desabei! Não conseguia parar de chorar. Na minha cabeça eu só conseguia pensar em quanto eu estava feliz conhecendo a Letícia e imensamente grata à minha irmã e ao meu cunhado por me permitir participar desse momento tão lindo e especial!

registrar o parto

 A primeira amamentação! 

Porta Maternidade a Bela e a Fera
As lembrancinhas:
Suspiro em formato de flor;
lanterna da Bela e a Fera;
Pingente de prata “Letícia”

Bem vinda Letícia!!!

Para entender melhor sobre tudo o que eu contei, não deixe de assistir meu vlog desse dia emocionante!!!

Muitos Beijos!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *