VACINA

Eu tenho vontade de abordar este assunto aqui já faz um tempo, mas não poderia falar nada para vocês antes de estudar e ter certeza de estar falando a coisa certa… por isso demorei um pouco e agora, vivenciando mensalmente a visitação nos postos ou clínicas de vacina em busca de imunizar meu bebê, este assunto veio à tona e, depois de estudar, decidi manifestar a minha opinião a respeito.

Muitas amigas do meu ciclo de amizade vacinam seus filhos na rede particular, eu diria A MAIORIA delas. Desde que o Felipe nasceu, visito quase que mensalmente o posto de saúde em busca de vacina-lo e tenho repetido este ato agora, com o Gabriel.

COMO ESCOLHER O MELHOR LOCAL PARA VACINAR?

Então, nosso país tem uma fama de que NADA FUNCIONA, correto??? Pois bem, concordo em partes. Poucas coisas que eu sei que são infalíveis no Brasil: PRISÃO PARA O NÃO PAGAMENTO DE PENSÃO ALIMENTÍCIA (eu sei que não tem nada a ver com o assunto, mas é por que isso funciona, kkkkkkkkkkkkkk) e O SISTEMA DE VACINAÇÃO!

De acordo com as informações que levantei para trazer este post para o blog, o nosso sistema de vacinação é UM DOS MELHORES DO MUNDO, super completo.

Assim, para que pagar (DE NOVO) por um serviço que você já paga nos seus impostos?! Então, a minha escolha sobre o MELHOR LOCAL PARA VACINAR se dá da seguinte forma:

  • Tem na rede pública? É lá que eu vacino;
  • Está em falta? Rede particular;
  • Só tem na rede particular? Fui para a clínica.
  • Os lotes de vacina na rede pública são repostos com mais frequência o que facilita encontrarmos vacinas “novas”

COMO SABER QUAL VACINA TOMAR E SE ELA EXISTE OU NÃO NA REDE PÚBLICA?

Todos os meses, nas consultas com a pediatra, carrego a carteira de vacinação dos meus filhos e mostro para ela; assim, ela sempre me diz se existe alguma que o posto não marcou e que existe na rede privada. Daí, recorro a este serviço.

Anualmente, o calendário de vacinação é alterado, então, caso o seu filho não seja mais um bebê que frequenta o médico pediatra mensalmente, meu conselho é levar a carteira de vacinação na próxima consulta para que o médico diga se existe alguma vacina que tenha entrado no calendário e que ele não tenha tomado. Por exemplo, na época do Felipe, a vacina contra Varicela (catapora) não existia na rede pública, dei em clínica particular. De uns tempos para cá o governo incluiu no calendário de vacinação e agora o Gabriel, provavelmente, tomará no posto de saúde.

Mas quem me passa essas informações é sempre a pediatra deles.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *