MÃE, NÃO POSSO DEIXAR DE FALAR…

Em 2012, foi o meu primeiro dia das mães, foi um dia em que que eu carregava o meu filho e conseguia entender o TAMANHO DO AMOR que alguém poderia sentir por outro ser. Um amor totalmente despretensioso, o amor que não exige nada em troca, um amor puro, sincero, verdadeiro e que de tão grande chega a dar um medo profundo, um medo de se ver um dia sem aquela pessoa para AMAR…

Em 2012, eu processei essa informação de um outro jeito, não mais como quem escuta falar desse amor, mas como quem o SENTE. E eu me recordo de ouvir de uma pessoa assim: “eu só olhava para você feito boba e via o seu nariz que fazia um triângulo certinho e pensava: é minha. Tinha momentos em que eu percebia que tinham outras pessoas no quarto e que poderiam perceber a minha cara de boba, então eu disfarçava”. Essa pessoa é A MINHA MÃE e ela está falando DE MIM.

Em 2012, entendi o que ela quis dizer e percebi o quão despretensiosamente eu SOU AMADA, o quanto sem exigir nada em troca ELA ME AMA, a pureza do seu AMOR POR MIM, a SINCERIDADE, a PROFUNDIDADE, o MEDO que ela sente de um dia não ME TER PARA AMAR…

E então eu entendi tudo! As broncas, as exigências, as perguntas (quantas perguntas), as chatices, as noites sem dormir cuidando de mim; as presenças em TODAS as minhas festinhas de escola; as visitas ao médico, dentista, academias; as ajudas a fazer CADA lição da escolinha; a motorista que me levava e buscava em todos os lugares onde eu queria ir; a companheira que está comigo até nos programas que eu considero “DE ÍNDIO”; o ouvido que me é cedido para desabafar; os conselhos; o carinho; os abraços; os beijos; as frases “eu te amo” que eu perdi a conta de quantas vezes escutei e escuto…

Em 2012, eu escrevi este texto para ela e é com uma parte dele que eu finalizo o meu post:

entendendo hoje o tamanho deste amor, sua doação, sua entrega, o fato de me colocar muitas e muitas vezes acima das SUAS vontades e SUAS prioridades, abrir mão da SUA rotina, das SUAS escolhas e tudo isso por mim, ou POR NÓS (meus irmãos). Hoje eu sei o que você sente por mim e não sei se mereço tudo isso, é a minha parceira, a minha companheira, a minha amiga, a minha conselheira, a minha psicóloga, a minha MÃE.
Neste dia das mães, o valor de você ser a minha MÃE, por incrível que pareça, é maior para mim do que todos os outros anos e assim mais uma vez eu digo: “obrigada”, mas desta vez, a minha gratidão também tem um valor diferente afinal, o amor que você sente por mim é realmente algo inexplicável, e como é gostoso saber que tem alguém que me ama assim como hoje eu amo o Felipe!
Feliz dia das mães para nós! Te amo MUITO;
Milena”

DESEJO A TODAS AS MAMÃES UM EXCELENTE DIA!

Muitos Beijos!!!