Lancheira da filha da Bela Gil – Você concorda?

Depois de toda a polêmica com relação a lancheira da filha da Bela Gil, caso você não esteja sabendo do ocorrido, a Bela Gil postou em redes sociais a lancheira de sua filha contendo: granola caseira, banana da terra, batata doce e água:

Foto Bela Gil, postada em rede social
Foto Bela Gil, postada em rede social

Essa postagem levantou uma agitação e preocupação das mães e profissionais no sentido de: até onde está correto, a partir de onde é exagero? É uma questão de hábito? É verdadeiramente “saudável” a lancheira apresentada?

Que fique claro que adoro as dicas da Bela Gil, acho o programa dela incrível e não estou montando o post para julgar “a pessoa”, mas quero abrir uma discussão sobre “alimentação saudável x ditadura da moda da alimentação saudável”. Consegue me entender?

Até onde estamos fazendo o bem para nossos filhos retirando TUDO que de uns tempos para cá foi determinado como vilão?

Pensando em todas essas questões, busquei o auxilio de uma nutricionista que admiro muito, a Dra. Elaine de Pádua, autora dos jogos educativos: “Mito ou verdade”, “Desafio hortifruti” e “De olho nos alimentos”, além do livro: “O que tem no prato do seu filho? – Um guia prático de nutrição para os pais”, editora Alles Trade.

De acordo com a visão da Dra. Elaine, uma boa composição de lancheira escolar, precisa reunir carboidratos, proteínas, vitaminas e minerais. Durante a minha conversa com a Dra. Elaine, ela chamou a atenção para a “falta de cor” na composição da lancheira acima. O que sempre falamos no momento de montar nossos pratos: “quanto mais colorido, melhor”, se aplica nesta hora também.

post19

Na visão da Dra. Elaine, não estava bem equilibrada, tinha muito carboidrato e pouca proteína. Mesmo quando tratamos de “alimentos saudáveis”, o equilíbrio continua sendo importante.

Aproveitando o gancho, quero contar um episódio que ocorreu comigo, há poucos dias: Meu filho foi para a sua primeira excursão escolar da vida, na semana passada. No comunicado da escola, veio que as mães deveriam enviar os lanches. No meu dia a dia, não mando lanches para a escola por que ele come o que é servido por lá. Então, pela primeira vez, eu tive que montar uma lancheira para meu filho. Sábado agora, foi sua festa junina, a professora dele veio falar comigo: “ai mãe, achei o máximo o lanche do Fê e que lindo, ele comeu todo o pepino e a cenoura que você mandou”.

A minha resposta foi: “Achei que você me acharia maluca, rsrsrsrsrsrs…, mas, eu pensei: preciso mandar lanches de “mães normais”, e por isso, coloquei (bisnaguinhas com presunto e queijo ou requeijão); maça; 01 saquinho de Nescau Cereal, 01 chocolate Bis e água de coco. Mas, preciso mandar algo que tenho certeza de que ele vai comer e então montei o potinho com pepinos e cenouras”.

A resposta da professora foi: “E foi isso que ele quis quando ofereci as opções”.

Pois é, meu filho come as outras coisas também, não nego nenhum alimento a ele, somente não insisto com as coisas que acredito não serem saudáveis. Mas o hábito faz a criança fazer as suas escolhas. Talvez tenha sido esse o caso da filha da Bela Gil, vai saber! Talvez, se eu tivesse postado a lancheira do meu filho, também teria sido criticada, vai saber!

A única coisa que acredito, no final de tudo isso, é que a Dra. Elaine tem razão: “O equilíbrio é fundamental”.

É como eu sempre digo, nada de extremos, sempre precisamos tentar ficar no meio da régua, nunca nas pontas!

Muitos Beijos!!!