DIZER NÃO PARA SEU FILHO, SEM DIZER NÃO

O meu filho está passando por uma fase que pode-se chamar de “adolescência na infância”. Ele está com 03 anos, e, por ter sido sempre uma criança de fácil convívio, venho estranhando muito seu comportamento, ultimamente. Sim, sou psicóloga e sei que é completamente esperado esse momento na vida deles, tem um momento em que eles decidem se autoarfirmar, contrariar, seduzir para convencer, chorar para ver até onde eles têm o domínio da situação… e para muitos pais, esse é um momento confuso, já que até outro dia nós os víamos como “bebês bonzinhos e obedientes”.

Pois é, indício de crescimento! Que bênção! E que dificuldade! Rs

Para lidar com essa dificuldade, também precisamos modificar a nossa postura. Precisamos ter uma postura de maior firmeza e clareza perante eles. Alguns pais têm dificuldade em parecer firme diante do filho, por acreditarem que estão decepcionando, frustrando, chateando, deixando-os tristes e acabam sendo bastante permissivos.

Se esse for o seu caso, te convido a pensar de forma que, o caminho da “felicidade temporária” é mais simples no primeiro momento, porém, muito mais danoso a longo prazo. Quando não colocamos nos nossos filhos as margens (sim, como se ele fosse um rio), esse rio perde a forma, a identidade. Precisamos colocar margens para que ele contido se fortaleça e consiga explorar as suas potencialidades.

Modifiquei alguns dos meus comportamentos com o Felipe aqui em casa e notei um resultado positivo. Por isso, resolvi dividir com vocês através deste vídeo:

 

Enfrentamos desafios diários com a educação dos nossos filhos. A medida em que eles desenvolvem o repertório comportamental deles, precisamos incrementar o nosso repertório comportamental também! Tente você também e me conte se melhorou!

Muitos Beijos!!!